quarta-feira, 30 de junho de 2010

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Acupuntura Turbinada



Cientistas deram mais um passo importante para compreenderem como o simples espetar de algumas agulhas no corpo é capaz de aliviar a dor.
Em um artigo publicado na revista Nature Neuroscience, a equipe da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, identificou a molécula adenosina como um elemento central na ativação no corpo de alguns dos efeitos da acupuntura.
Partindo desse novo conhecimento, os cientistas foram capazes de triplicar os efeitos benéficos da acupuntura em camundongos por meio da adição de um medicamento aprovado para tratar a leucemia.

Adenosina

A adenosina é um composto natural conhecido por seu papel na regulação do sono, por seus efeitos sobre o coração, e pelas suas propriedades anti-inflamatórias.
Mas a adenosina também atua como um analgésico natural, tornando-se ativa na pele após um ferimento para inibir os sinais nervosos e aliviar a dor de uma forma semelhante ao que faz a lidocaína.
No estudo, os cientistas descobriram que esta substância química é também muito ativa nos tecidos mais profundos afetados pela acupuntura.
Os pesquisadores analisaram os efeitos da acupuntura no sistema nervoso periférico - os nervos do nosso corpo que não são parte do cérebro e da medula espinhal.

Base científica da acupuntura

Segundo Maiken Nedergaard, as novas descobertas vêm adicionar ainda mais suporte científico à acupuntura.

"A acupuntura tem sido um pilar do tratamento médico em algumas partes do mundo por 4.000 anos, mas, como ela ainda não foi compreendida completamente, muitas pessoas se mantiveram céticas", afirma Nedergaard.

A pesquisa complementa um rico corpo de trabalhos que mostram que, no sistema nervoso central, a acupuntura cria sinais que levam o cérebro a produzir as endorfinas, analgésicos naturais.
"Neste trabalho, nós fornecemos informações sobre um mecanismo físico pelo qual a acupuntura reduz a dor no corpo," acrescenta a pesquisadora.

Acupuntura três vezes melhor

Assim que reconheceram o papel da adenosina, os cientistas começaram a explorar os efeitos de uma droga contra o câncer, chamado deoxicoformicina, que dificulta a remoção da adenosina pelos tecidos.

O composto aumentou dramaticamente os efeitos do tratamento com acupuntura, quase triplicando o acúmulo de adenosina nos músculos e mais do que triplicando o tempo de eficácia do tratamento.

"É claro que a acupuntura pode ativar uma série de mecanismos diferentes," acrescenta Josephine P. Briggs, coautora do estudo. "Este estudo extremamente cuidadoso identificou a adenosina como um novo participante nesse processo. É uma contribuição interessante para a nossa crescente compreensão da complexa intervenção que é a acupuntura."


Bookmark and Share

sábado, 19 de junho de 2010

Jogo de Areia - Psicologia Analítica

O JOGO DE AREIA - afirma sua criadora Dora Kalff

“não é apenas um método de terapia, mas um meio criativo através do qual o conteúdo da imaginação se torna real e visível. Além disso, proporciona ao terapeuta uma oportunidade única de observar os processos de desenvolvimento e de cura.”



Sendo um “método não verbal”, sua aplicação consiste em solicitar ao cliente que construa cenários em uma caixa de areia, da forma que desejar, usando miniaturas.

A observação da disposição das miniaturas escolhidas pelo paciente revela seu estado mental, por se tratar de um reflexo de suas imagens interiores, que afloram livremente dentro de um “espaço livre e protegido”- a caixa de areia – como é proposto Kalff. Desta forma, o JOGO de AREIA funciona como uma ponte entre o mundo inconsciente e a realidade externa.

Após uma seqüência de cenários, em um momento adequado, faz-se, em conjunto com o cliente, a interpretação, a discussão e as ligações entre os cenários e os fatos reais da vida interior (psíquica) e exterior do cliente. Esta exibição dos cenários faz com que o cliente tenha um contato concreto com seu inconsciente, reforçando e possibilitando a mudança. Uma das funções do JOGO DE AREIA é ser um dos caminhos para a transformação.


Este método é indicado para todas as idades e sua característica principal é o acesso mais rápido ao inconsciente, em muitos casos possibilitando o abreviamento do processo de cura, por propiciar o aprofundamento da análise, pois através dos cenários o paciente projeta uma imagem do seu estado psiquico-emocional e entra em contato com o seu EU mais profundo. É igualmente indicada para pessoas profundamente introvertidas, intuitivas, racionais, extremamente tensas, agressivas, hiperativas, com dificuldades de comunicação, depressão ou com deficiência de comunicação (fala, audição).

A aplicação deste método apresenta as seguintes vantagens: diminuição da ansiedade, a possibilidade de expressar os impulsos agressivos, o aumento da segurança e da estabilidade interna, proporcionadas pela estrutura estável, livre e extremamente acolhedora que esta prática oferece ao paciente, além da diminuição considerável dos sintomas em um curto espaço de tempo, em inúmeros casos.

Fonte: Texto de autoria de Renata Whitaker Horschutz e Edna Garcia Levy, fotos de Edna G.Levy.
Fundamentação Teórica

Bibliografia sugerida:

- Obras Completas C.G. Jung
- A Criança, Eric Neuman
- História da Consciencia, Eric Neuman
- Ego e Arquétipo, Eduard Edinger
- Jung e a Interpretação dos Sonhos, James Hall
- O Abuso do Poder, Adolf Guggenbuhl
- O Brincar e a Realidade, Winnicott
- Infância e Sociedade, Erik Erikson
- Parceiros Invisiveis, John Sanford
- A Psicoterapia Junguiana, Fordham
- Transferência e Contratransferência, Murrey Stein
- Os Deuses Gregos, K. Kerénnyi
- O Simbolismo Da Mitologia Grega, Paul Diel
- Mal o Lado Sombrio da Realidade, John Sanford
- Dicionários de Simbolos, Mitos, História e Filosofia

___________________________________________________________

Fonte: www.jogodeareia.com.br

Bookmark and Share

O Neijing ou Tratado Interno

O Neijing , ou Tratado Interno, é um dos primeiros textos de medicina de todo o mundo. Nele aparecem as primeiras indicações sobre a acupuntura, o funcionamento cosmológico do corpo, a natureza das energias, etc. A tradição chinesa costuma informar que autoria do livro pertence ao mítico imperador Amarelo (Huangdi), mas o texto atualmente conhecido data da época Han. Sabe-se que era um costume da época atribuir a autoria de textos importantes à figuras históricas igualmente famosas; porém, os conteúdos tratados no livro são, com certeza, bem mais antigos do que a confecção do próprio tratado, como indicam vestígios arqueológicos da época Zhou.

Extratos do Neijing

Tratado sobre a Verdade Natural nos Tempos Antigos

O Imperador Amarelo foi dotado de talentos divinos, nos tempos antigos em que nasceu: na primeira infância já sabia falar, muito jovem ainda era rápido de entendimento e sagacidade, em adulto foi sincero e compreensivo e quando atingiu a perfeição ascendeu ao Céu.

Uma vez, o Imperador Amarelo dirigiu-se a T’ien Shih, o mestre divinamente inspirado, nos seguintes termos:

- Ouvi dizer que nos tempos antigos as pessoas viviam mais de um século e mesmo assim permaneciam ativas e não se tornavam decrépitas nas suas atividades. Hoje em dia, porém, as pessoas só vivem metade desses anos e mesmo assim tomam-se decrépitas e débeis. É por que o Mundo muda de geração para geração? Ou será por que a espécie humana negligencia as leis da Natureza?

E Ch’i Po respondeu:

- Antigamente, essas pessoas que compreendiam o Tao [o caminho do autodesenvolvimento] moldavam-se de acordo com o Yin e o Yang [os dois princípios da Natureza] e viviam em harmonia com as artes da adivinhação. Havia temperança no comer e no beber. As suas horas de levantar e recolher eram regulares e não desordenadas e ao acaso. Graças a isso, os antigos conservavam os seus corpos unidos às suas almas, a fim de cumprirem por completo o período de vida que lhes estava destinado, contando cem anos antes do passamento. Hoje em dia, as pessoas não são assim; utilizam o vinho como bebida e adotam a temeridade e a negligência como comportamento habitual. Entram na câmara do amor em estado de embriaguez; as paixões exaurem-lhes as forças vitais; o ardor dos desejos malbarata-lhes a verdadeira essência; não são hábeis na regulação da sua vitalidade. Devotam toda a atenção ao divertimento dos seus espíritos, desviando-se assim das alegrias da longa vida. Levantam-se e deitam-se sem regularidade. Por tais razões só chegam à metade de cem anos e degeneram.

Na Antigüidade mais remota, os ensinamentos dos sábios eram seguidos pelos que se encontravam abaixo deles. Os sábios diziam que a fraqueza, as influências insalubres e os ventos nocivos deviam ser evitados em ocasiões específicas. Sentiam-se tranqüilamente satisfeitos no nada e a verdadeira força vital acompanhava-os sempre; preservavam dentro de si o vigor vital primitivo. Assim, como podia a doença acometê-los?. Reprimiam a vontade e reduziam os desejos; os seus corações estavam em paz e sem qualquer medo, os seus corpos labutavam e, contudo, não sentiam fadiga. O seu espírito respeitava a harmonia e a obediência, estava tudo de acordo com os seus desejos e conseguiam o que quer que desejassem. Achavam excelente qualquer espécie de comida e qualquer espécie de vestuário os satisfazia. Sentiam-se felizes em todas as circunstâncias. Para eles, não importava que um homem ocupasse na vida uma posição elevada ou inferior. A homens assim se pode chamar puros de coração. Não há desejo capaz de tentar os olhos destas pessoas puras, e a sua mente não pode ser desencaminhada pelos excessos nem pelo mal.

Numa sociedade assim, quer os homens sejam sensatos, quer idiotas; quer virtuosos, quer maus, não têm medo de nada, estão em harmonia com o Tao, o Caminho Certo. Por isso, os antigos viviam mais de um século e permaneciam ativos e sem se tomarem decrépitos, porque a sua virtude era perfeita e nada jamais a punha em perigo.






Bookmark and Share